Publicidade

Colunas

Suicídio: Tema atual ou Tabu?

quarta-feira, 26 junho de 2019.

Psicóloga Marília Frost – CRP 08/26684

Nos dias atuais, muito se ouve falar sobre casos e situações que envolvem o “suicídio”. Mas será que o fato de ser um tema tão corriqueiro o torna um assunto entendido pela sociedade e compreendido em sua real significação?

Para a revista Superinteressante (2017), até você terminar de ler este parágrafo, uma pessoa vai ter se suicidado no mundo.

Todos os dias, 32 brasileiros tiram a própria vida.

 Quase 1 milhão de pessoas se matam por ano, uma a cada 40 segundos – são mais vítimas que todas as guerras, homicídios e conflitos civis somados. E, para cada morte por suicídio, existem outras 10 ou 20 pessoas que já tentaram fazer o mesmo. Só aqui, já quebramos a ideia de que este assunto possa ser uma “frescura” e algo desnecessário de ser debatido.

Segundo Karina Fukumitsu (2015), o suicídio ainda pode ser visto como um tabu porque representa uma afronta para o instinto humano: a sobrevivência.

Infelizmente, a nossa sociedade ainda vive o medo de se falar muito sobre isso e acabar desencadeando um suicídio em massa, quando na verdade, as únicas armas que temos para lidarmos com este assunto é  falando, compartilhando e estudando sobre ele de forma individualizada, ou seja, não basta olharmos para o suicídio como um assunto do nosso contexto, como uma questão de saúde pública (que de fato, o é) se não olharmos  também para os indivíduos que sofrem com a ideação, para aqueles que já passaram por experiências relacionadas ao suicídio, de forma subjetiva, entendendo e acolhendo como um ser único em sua forma de ser e existir nesse mundo.

O suicídio é sim um assunto mundial, mas as pessoas que passam por essas vivências são únicas e vivem cada uma de uma forma, encaram dentro de suas vidas e dias particulares. Independente da forma que é realizado, do contexto em que ocorre, ou da pessoa que vivencia direta ou indiretamente uma situação que envolva este tema, este é um assunto real, presente aqui nos nossos dias. Por isso, precisamos julgar menos e acolher mais, estudar mais, procurar ajuda profissional adequada. O suicídio não é uma questão de números, é uma questão de vida. Continue acompanhando nossa coluna, traremos aqui mais informações acerca do assunto.

 

Agende seu horário no Instituto Urbano pelos telefones (44) 3522 4191 ou 92000-4591

 

Comentarios

Publicidade
domsegterquaquisexsáb
     12
17181920212223
24252627282930
31      
28      
       
      1
       
     12
2425262728  
       
      1
3031     
     12
24252627282930
       
  12345
2728293031  
       
2930     
       
    123
25262728293031
       
    123
18192021222324
25262728   
       
 123456
78910111213
21222324252627
28293031   
       
     12
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
       
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
       
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
       
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
       
      1
9101112131415
23242526272829
3031     
    123
252627282930 
       
 123456
14151617181920
21222324252627
28293031   
       
      1
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      
   1234
567891011
       
   1234
12131415161718
19202122232425
262728    
       
293031    
       
    123
11121314151617
       
  12345
13141516171819
27282930   
       
      1
23242526272829
3031     
    123
18192021222324
252627282930 
       
28293031   
       
   1234
567891011
       
     12
3456789
17181920212223