Publicidade
Publicidade

Notícias Geral

Hospitais do Paraná à beira do colapso financeiro

quarta-feira, 7 abril de 2021.

Além disso, argumenta, as instituições de saúde já não têm mais como cumprir as metas exigidas pela legislação, deixando assim de receber recursos. “Tivemos durante a pandemia um aumento de custos próximos de 50%. Lembrando que os hospitais privados e filantrópicos representam a base do sistema do Estado, atendendo a cerca de 70% dos casos do SUS. Estes fatores somados podem resultar no colapso financeiro dos hospitais. Os hospitais não vão aguentar sem uma sensibilidade do poder público”, avisou.

A presidente da Associação dos Hospitais do Estado do Paraná (AHOPAR), Márcia Rangel de Abreu, exemplificou que o aumento de tributos no Estado de São Paulo, que comporta 70% das fábricas produtoras de insumos hospitalares, pode resultar no crescimento dos custos nos hospitais do Paraná. “Precisamos estudar uma contrapartida para desonerar impostos e tributos. É necessário pensar nisso para equilibrarmos as contas em um momento em que todo o sistema de saúde está sobrecarregado”, apontou.

As reivindicações são semelhantes ao do vice-presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (FEMIPA), José Pereira. Ele afirmou que muitos hospitais já encontram dificuldades financeiras para compra de insumos e medicamentos. Segundo ele, os valores estão “absurdos”. Além disso, o cumprimento de certas metas impostas pela legislação representa uma dificuldade neste momento. “Neste sentido, pedimos o apoio da Assembleia para encontrar um modo de isenção das metas qualitativas e quantitativas. Precisamos desta sensibilidade para ajudar aos hospitais”, pediu.
Estado – O representante da Secretaria de Estado da Saúde (SESA), Nestor Werner Junior, afirmou que o órgão está atento a todos os movimentos da pandemia, inclusive às necessidades dos hospitais. Ele explicou que, desde o início da crise, o Paraná optou por trabalhar com a rede hospitalar constituída, sem a abertura de hospitais de campanha. “Com a abertura de quase cinco mil leitos, entre UTI e enfermaria, o Paraná criou o equivalente a 50 hospitais de campanha de 100 leitos. Nós financiamos praticamente a totalidade desse número, pois apostamos na parceria com os hospitais”, afirmou.

Werner explicou ainda que, entendendo a atual situação dos hospitais, a SESA publicou uma nova resolução alterando a cobrança das metas qualitativas e quantitativas para os meses de abril e maio. “Entendemos que esta é uma questão muito sensível para os hospitais”, disse. (Fonte: Bem Paraná)

Publicidade
domsegterquaquisexsáb
    123
18192021222324
252627282930 
       
28      
       
      1
       
     12
2425262728  
       
      1
3031     
     12
24252627282930
       
  12345
2728293031  
       
2930     
       
    123
25262728293031
       
    123
18192021222324
25262728   
       
 123456
78910111213
21222324252627
28293031   
       
     12
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
       
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
       
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
       
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
       
      1
9101112131415
23242526272829
3031     
    123
252627282930 
       
 123456
14151617181920
21222324252627
28293031   
       
      1
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      
   1234
567891011
       
   1234
12131415161718
19202122232425
262728    
       
293031    
       
    123
11121314151617
       
  12345
13141516171819
27282930   
       
      1
23242526272829
3031     
    123
18192021222324
252627282930 
       
28293031   
       
   1234
567891011
       
     12
3456789
17181920212223