Publicidade
Publicidade

Notícias Geral

Justiça atende pedido do MPPR e suspende ato do prefeito de Corumbataí do Sul que nomeou como secretária municipal sua filha de 18 anos

quarta-feira, 21 julho de 2021.

Atendendo pedido formulado pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça de Barbosa Ferraz, no Centro-Ocidental do estado, a Justiça determinou liminarmente a suspensão do ato do prefeito de Corumbataí do Sul (município da comarca) que nomeou a própria filha, de apenas 18 anos, para o cargo de secretária de Ação Social. Além da pouca idade, ela não possui qualquer qualificação técnica ou experiência para o cargo – configurando-se, como aponta o MPPR, clara prática de nepotismo.

CLIQUE AQUI E RECEBA AS NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO

A decisão judicial alega que, instada a comprovar sua qualificação, a requerida limitou-se “a afirmar que atualmente, e de forma concomitante ao exercício do cargo, cursa graduação de Enfermagem, curso que […] não possui relação direta com a administração da assistência de social de um município, onde se demanda conhecimento técnico dos princípios de assistência social, de toda a legislação pertinente, bem como uma noção básica de gestão de pessoas, eis que o cargo em questão é em tese de ‘chefia’ de toda uma repartição da administração pública”.

Ela também apresentou “declarações emitidas por funcionários municipais, que coincidentemente são a ela subordinados, e, ainda, certidão de realização de curso com atividades de 5 horas na área da assistência social e declaração de matrícula realizada em 28/06/2021 no curso de Serviço Social”. O prefeito, por sua vez, “se limitou a afirmar que a requerida seria sim capacitada, pois na sua visão parcial de genitor que lhe acompanha diariamente, acredita em seu potencial”.

NEPOTISMO. O Juízo considerou que a secretária “somente ocupa o cargo em razão de ser filha do prefeito de Corumbataí do Sul, que também já nomeou anteriormente sua mulher para outro cargo em comissão no mesmo Município”, ressaltando que “as declarações emitidas por funcionários, ainda que concursados, mas subordinados à requerida não são capazes de comprovar sua qualificação técnica, eis que não há documentos atestando o exercício anterior de função em área similar, além de se tratar de ato produzido de forma unilateral”, bem como que “a simples matrícula em curso de Serviço Social, ainda que demonstre iniciativa positiva de sua parte, não faz com que a requerida esteja automaticamente qualificada para o exercício do cargo, eis que se faz necessária a efetiva realização de ao menos parte da graduação para se pressupor algum conhecimento técnico na área”.

Fonte: MP.PR.

 

Publicidade
domsegterquaquisexsáb
    123
25262728293031
       
28      
       
      1
       
     12
2425262728  
       
      1
3031     
     12
24252627282930
       
  12345
2728293031  
       
2930     
       
    123
25262728293031
       
    123
18192021222324
25262728   
       
 123456
78910111213
21222324252627
28293031   
       
     12
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
       
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
       
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
       
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
       
      1
9101112131415
23242526272829
3031     
    123
252627282930 
       
 123456
14151617181920
21222324252627
28293031   
       
      1
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      
   1234
567891011
       
   1234
12131415161718
19202122232425
262728    
       
293031    
       
    123
11121314151617
       
  12345
13141516171819
27282930   
       
      1
23242526272829
3031     
    123
18192021222324
252627282930 
       
28293031   
       
   1234
567891011
       
     12
3456789
17181920212223