Publicidade
Publicidade

Notícias Polícia

Mulher espancada pelo namorado há quase 10 meses continua acamada

quarta-feira, 1 julho de 2020.

A rotina de Marilúcia de Souza Brito, 52 anos, não é nada fácil. A diarista passa o dia cuidando da filha Michelle de Souza Brito, 32 anos, que foi brutalmente espancada durante um churrasco em Paiçandu, no dia 7 de setembro de 2019.

O principal suspeito é o ex-namorado da vítima, Whebher de Oliveira Simão, que está foragido da justiça há nove meses. A mãe de Michelle teme pela vida dela, da filha que está acamada, e da neta, de 14 anos, filha de Michelle de outro relacionamento.

Whebher de Oliveira Simão está foragido há nove meses

Marilúcia teve que largar a profissão de diarista para cuidar exclusivamente da filha e da neta. Familiares, vizinhos e moradores de Paiçandu é que ajudam a diarista a se manter firme e forte diante de uma situação tão trágica.

Investigação 

A Polícia Civil de Paiçandu pediu a prisão de Whebher de Oliveira Simão, ex-namorado de Michelle, logo após o crime. No entanto, a prisão nunca ocorreu. Os investigadores fizeram algumas buscas, mas não encontraram o suspeito.

Em março deste ano, Simão, teria participado de um assalto em Floriano, distrito de Maringá. Os criminosos invadiram uma casa fortemente armados, trancaram os moradores em um dos cômodos e fugiram levando dinheiro e veículos da família. O suspeito foi reconhecido pelas vítimas.

A Polícia Civil de Maringá indiciou Whebher de Oliveira Simão pelo crime de roubo agravado com restrição de liberdade das vítimas e uso de arma de fogo. Mas ele ainda não foi localizado e preso.

A reportagem está tentando falar com o delegado de Paiçandu para saber como anda a investigação sobre o caso.

Polícia continua procurando o suspeito

O delegado que investiga o caso em Paiçandu, Mateus Ganzer, disse que não há novidades sobre o paradeiro de Whebher de Oliveira Simão, mas que as equipes continuam as buscas.

“Por diversas vezes tínhamos.informações de onde ele estava, porém essas informações vazaram para imprensa e ele conseguiu fugir. Estamos em diligências constantes para localizá-lo, porém ele está assessorado por advogado que já falou que não irá entregá-lo”, disse o delegado.

Denúncias anônimas

A Polícia Civil aceita denúncias anônimas sobre o paradeiro de Whebher de Oliveira Simão. É possível enviar uma mensagem de WhatsApp ou ligar para o telefone (44) 99755-5953. Os investigadores vão manter suas informações em sigilo.

Publicidade
domsegterquaquisexsáb
      1
16171819202122
23242526272829
3031     
      1
       
     12
2425262728  
       
      1
3031     
     12
24252627282930
       
  12345
2728293031  
       
2930     
       
    123
25262728293031
       
    123
18192021222324
25262728   
       
 123456
78910111213
21222324252627
28293031   
       
     12
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
       
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
       
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
       
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
       
      1
9101112131415
23242526272829
3031     
    123
252627282930 
       
 123456
14151617181920
21222324252627
28293031   
       
      1
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      
   1234
567891011
       
   1234
12131415161718
19202122232425
262728    
       
293031    
       
    123
11121314151617
       
  12345
13141516171819
27282930   
       
      1
23242526272829
3031     
    123
18192021222324
252627282930 
       
28293031   
       
   1234
567891011
       
     12
3456789
17181920212223