Publicidade
Publicidade

Notícias Região / Quarto Centenário

Tribunal de Justiça: Reconduz Krachinski a Prefeitura

terça-feira, 16 agosto de 2016.

A decisão do Tribunal de Justiça do Paraná através de liminar do Desembargador Mateus de Lima, que tornou nula a decisão do Juiz Eleitoral da Comarca de Goioerê que afastou o prefeito Reinaldo Krachinski da Prefeitura de Quarto Centenário, foi recebida com manifestação popular com queima de fogos e carreata pela cidade.Reinaldo

O afastamento de Reinaldo do cargo de prefeito ocorreu na última terça-feira, em cumprimento a decisão judicial do juiz da Comarca, Christian Palharini em sentenção à ação impetrada na primeira administração do prefeito Reinaldo, em 2005, de improbidade envolvendo o imbróglio em relação à licença concedida ao ex-advogado Emerson Siqueira (falecido) que se encontrava em estágio probatório. Há cerca de 4 meses, a juiz da Comarca, Fabiana Sato em sentenção declarou nulo o processo, uma vez que na época, o prefeito não havia sido citado.

E, na tarde de ontem, segunda-feira, 15, o desembargador Luiz Mateus de Lima concedeu liminar reconduzindo Reinaldo ao cargo que desde a última terça-feira vem sendo ocupado pela vice-prefeita, Cida Bugno.

Na mesma liminar, o desembargador Luiz Mateus de Lima recomendou que a decisão que afastou Reinaldo do cargo não tenha prejuízo à sua condição de candidato a reeleição.

A ação impetrada no Tribunal de Justiça que reverteu a decisão Judicial que afastou Reinaldo do cargo foi assinada pelos advogados Moisés Pessuti (Curitiba) e o goioerense Wanderson Moreira.

SEM PREJUIZO: A ação de improbidade administrativa que Reinaldo responde que não provocou dolo financeiro ao município. A decisão de conceder licença sem remuneração ao funcionário através de em parecer das assessorias Jurídica e administrativa da Prefeitura, bem como o prefeito Reinaldo em momento nenhum liberou o funcionário para trabalhar na Câmara Municipal, decisão está tomada pelo próprio funcionário ao ter a licença concedida pela Prefeitura, além do que o fato do funcionário estar em estagio probatório não é de competência do prefeito ter conhecimento, mais sim dos setores responsáveis da administração.

 

Comentarios

Publicidade
domsegterquaquisexsáb
22232425262728
293031    
       
  12345
2728     
       
28      
       
      1
       
     12
2425262728  
       
      1
3031     
     12
24252627282930
       
  12345
2728293031  
       
2930     
       
    123
25262728293031
       
    123
18192021222324
25262728   
       
 123456
78910111213
21222324252627
28293031   
       
     12
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
       
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
       
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
       
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
       
      1
9101112131415
23242526272829
3031     
    123
252627282930 
       
 123456
14151617181920
21222324252627
28293031   
       
      1
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      
   1234
567891011
       
   1234
12131415161718
19202122232425
262728    
       
293031    
       
    123
11121314151617
       
  12345
13141516171819
27282930   
       
      1
23242526272829
3031     
    123
18192021222324
252627282930 
       
28293031   
       
   1234
567891011
       
     12
3456789
17181920212223